00:00:00
Idéia pra golpe
Eduardo, Carlos e Flávio falam o que o pai pensa. E isso não é nenhuma novidade.

Diz o nome do dono, Telmário
Telmário Mota promoveu ontem audiência pública no Senado sobre reclamações do fornecimento de energia elétrica e valorcobrado pelo serviços nas contas de luz em Roraima. Com dados oficiais dessa empresa na mão, Telmário Mota, tem a obrigação de informar aos cidadãos o nome do dono - ou dos donos - dessa empresa. Ele passou anos acusando Romero Jucá de ser o proprietário da empresa, e a verdade é que Jucá nunca foi.


Merecem respeito
Não sei se Telmário aprendeu que, para ser respeitado, tem que primeiro respeitar. As pessoas pra quem Telmário disse que Jucá era respnsável pelos cortes de energia elétrica e pelo custo alto nas contas de luz, merecem respeito. E ninguém é respeitado sendo enganado. Tendo quem minta para eles difamando quem quer que seja.


Esperar de mais
Mas isso, assumir que o que disse não era verdade, e pior, que acusou levianamente quem ele abomina, talvez seja esperar de mais de quem nunca erra. De quem se acha o mais íntegro, honesto e equilibrado dos políticos de Roraima, não é?


Desafiado
No grupo MMA Política, Telmário Mota foi desafiado a informar o nome do dono da emrpesa fornecedora de energia elétrica. Ele "sumiu". 


PMPI
O 1º Plano Municipal da Primeira Infância (PMPI) que estabelece diretrizes, orientações e metas a serem cumpridas pelo município com foco no desenvolvimento da primeira infância (fase que vai da gestação aos seis anos da criança), foi entregue ontem pela prefeita Teresa Surita ao líder na Câmara Muncipal, vereador Zélio Mota.


Garantia de direitos
"É um passo importante para garantir a continuidade das políticas públicas para as crianças nas próximas gestões, e caracteriza-se com projeto de Governo e não como ação unilateral do prefeito. O PMPI é um mecanismo novo e faz parte de uma discussão da sociedade para que a gente possa garantir os direitos da criança na primeira fase da vida, que são, principalmente, os primeiros seis anos. Não é um plano de governo, é um plano que serve para toda a cidade”, destacou Teresa.


Bronca no CNJ
As repetidas audiências com coleta de depoimentos de supostas vítimas de abuso sexual em um processo judicial instaurado esse ano, pode receber reclamação no Conselho Nacional de Justiça contra a juiza Graciete Souto Maior. Familiares das supostas vítimas acham desnecessário a repetição de depoimentos.
Por outro lado, assessores jurídicos alegam que em caso de alguma dúvida ou contradição nos depoimentos, é normal que depoimentos sejam novamente tomados. "Todos têm direito a um julgamento justo", comentou um assessor jurídico.


Direto ao ponto
O servidor público Cedric Gicquel foi no ponto ao comentar em sua página no Facebook, que concordava com o que o então candidato ao governo, Antônio Denarium, dizia: "Dinheiro tem, o que falta é gestão". Isso é a mais pura verdade. Com a saúde público promovendo "genocídio" dentro de hospitais como o MPE declarou; com o tribunal de crime degolando quase todas as semanas adolescentes; com alunos iniciando as aulas no fim de maio passado, e o com o calote no Crédito Social, realmente, dinheiro tem, mas o que continua faltando, é gestão.


O que Shéridan disse
Sobre a eleição do ano que vem, a deputada Shéridan Stteffanny afirmou: “Já conversei com muita gente. Por enquanto estamos trocando ideias sobre como mudar os rumos da administração municipal, que tem que implementar políticas públicas fundamentais na direção da geração de emprego, habitação popular, educação inovadora, saúde pública universalizada para crianças e uma nova reestruturação urbanística da capital boa-vistense”.


Contradição
Sinceramente, não sei o que Shéridan quis dizer com isso acima, depois que ela,  juntamente com lord Hiran Gonçalves e Antônio Nicoleti - todos com interesses na Prefeitura de Boa Vista no ano que vem -, cortou R$ 30 milhões que estavam prontos para entrar no cofre do municío para obras de asfaltamento e escoamento de águas. Como alguém pensa numa "uma nova reestruturação urbanística da capital boa-vistense”, em "políticas públicas para geração de emprego", e "habitação popular", cortando R$ 30 milhões que atenderiam tudo isso?


Motivo do fiasco

São por declarações e posições assim, que Shéridan, mesmo fazendo a campanha mais cara para deputado federal (R$ 2 milhões) em Roraima, com apoio pesado de Anchieta Júnior, obteve em 2018 só 1/3 dos votos de 2014. E isso, sem falar em outras coisas que como ela costuma dizer, "fazem parte da minha história".


Coisa de golpista
Amigo leitor, veja a previsão hipotética de Eduardo Bolsonaro: "Vai chegar um momento em que a situação vai ser igual ao final dos anos 1960 no Brasil, quando sequestravam aeronaves, quando se sequestravam, executavam-se grandes autoridades, cônsules, embaixadores, execução de policiais, de militares. Se a esquerda radicalizar a esse ponto, a gente vai precisar ter uma resposta. E uma resposta pode ser via um novo AI-5, pode ser via uma legislação aprovada através de um plebiscito como ocorreu na Itália, alguma resposta vai ter que ser dada, porque é uma guerra assimétrica, não é uma guerra onde você tá vendo seu oponente do outro lado e você tem que aniquilá-lo, como acontece nas guerras militares. É um inimigo interno, de difícil identificação aqui dentro do país".


Deve está doente
Eduardo Bolsonaro precisa se tratar. Isso é paranóia patológica de que ocorra desordem no país, ou, realmente, um sonho como o pai dele disse sobre essa idéia de se recriar um ato que, inclusive, lhe tiraria o mandato porque o Congresso seria fechado. Aliás, o que teria a ver protestos nas ruas com fechamento do Congresso, com censura à liberdade de expressão, e uso de tortura para se combater a oposição, porque é disse que se trataria um no AI-5?


Sociedade abomina
Sabe o que acontecerá se a esquerda radicalizar? A sociedade toda se colocará contra, do mesmo modo como está se posicionando contra essa estupidez que foi dita. O país não tolera baderna, desordem e violência. As policias com as forças armadas entrarão em cena. Nunca será preciso fechar o Congresso, impedir que a imprensa noticie abusos e crimes, impedir protestos em forma de arte, em suma, rasgar a Constituição, como Eduardo Bolsonaro defende com um novo plebicito a exemplo da Itália de Benito Mussolini, que na ditadura dele, realizou plebicitos de acordo com a sua vontade. Mussolini acabou condenado à morte por enforcamento.


Falam o que o pai pensa
A verdade, é que Eduardo, Carlos e Flávio falam o que o pai pensa. E isso não é nenhuma novidade. Todo mundo sabia e sabe que Bolsonaro idolatra a ditadura militar, e endeusa um torturador assassino. E ele não esconde isso de ninguém, a ponto de se referir à estupidez do filho, como sendo um "sonho".


Ideía foi lançada
E a palavra "sonho" dentro do contexto de imaginação como o capitão se referiu, representa vontade, desejo. Os Bolsonaro se mostram dispostos a um clima de força que tome o país em nome da ordem, da segurança, e da família brasileira. Daí, sempre estão com palavras de repressão na ponta da língua. Idéia do primeiro passo pra isso já foi dada, a criação de um novo AI-5.


COMENTÁRIOS